O fechamento de um ciclo, a tão aguardada conclusão e a expectativa que gira em torno de alunos, colegas da turma, familiares e até mesmo professores mais próximos. A pressão que preenche os dois semestres finais da graduação pode ser grave e abrir depressão no último ano da faculdade. Como lidar com isso?

Pode parecer bobo ou simples, mas não é. Cada vez mais se ouve falar sobre quadros psicológicos vivenciados por universitários que estão prestes a dar adeus para a faculdade. Assim como os ciclos da vida são marcados por conclusões, o ensino superior não poderia ser diferente.

Para conseguir o esperado diploma e jogar os chapeuzinhos pelos ares do salão, é preciso sobreviver à pressões que precisam ser encaradas com seriedade.

Por isso, neste artigo, vamos abordar um pouco mais sobre as dificuldades que você costuma enfrentar e quais as melhores formas de enfrentá-las. Continue acompanhando.

Quais são as dificuldades encontradas por alunos?

Se você está se perguntando o motivo pelo qual os alunos adoecem no ensino superior, é preciso já começar tendo em mente que a estrutura atual da vida acadêmica é feita por pressões e ameaças.

O medo de ter feito uma escolha errada, a ameaça do desemprego e o medo do fracasso profissional têm levado muitos alunos à ansiedade e ao uso excessivo de medicamentos.

Podemos separar essas dificuldades em dois grandes grupos:

Estresse acadêmico

Existe uma série de fatores que contribuem para a depressão no último ano da faculdade. O estresse acadêmico é uma dessas causas, já que promove um ambiente mais competitivo. Além de garantir notas satisfatórias, o aluno deve cumprir as horas complementares exigidas. Na maioria das vezes, é nos 45 do segundo tempo que você descobre que faltam umas 200 horas.

Isso sem contar com o estágio que você precisa manter. Será que vai ser efetivado ou dispensado? E o bendito Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), que exige estrutura psicológica e habilidades de desenvolvimento.

Estresse financeiro

Não é nenhuma novidade que faculdade custa caro no Brasil. Muitos estudantes acabam enfrentando o estresse com as finanças, já que o bolso aperta e as mensalidades encarecem cada vez mais.

Outro comportamento comum é encontrar estudantes que negligenciam as atividades acadêmicas por conta do dinheiro que devem. Isso pode gerar uma bola de neve e gerar preocupações que só se agravarão, como preocupações em cadeia.

Como enfrentar a depressão no último ano da faculdade?

Se você se encontra em um desses estresses, calma! Nem tudo está perdido. Nos próximos tópicos, vamos tentar te ajudar quanto ao que você pode fazer para encerrar a graduação de forma incrível e sentir alívio em sua festa de formatura.

Procure ajuda na psicoterapia

Há diferentes modos de tratar a depressão. Eles precisam ser discutidos com um profissional médico. Optar pela psicoterapia não é coisa de maluco. Trata-se de respeitar o seu próprio corpo e garantir que você possa compartilhar suas dificuldades com um profissional treinado.

Um profissional da área poderá proporcionar uma experiência incrível e ajudar no alívio da pressão. Alguns tipos de psicoterapia incluem terapia comportamental cognitiva e terapia interpessoal.

Medicação e Neuromodulação

Dependendo do nível da sua saúde mental, o profissional da psicologia pode receitar medicações em busca de garantir uma melhoria mais rápida. O mercado está repleto de inúmeros tipos de antidepressivos para tratar questões relacionadas à depressão ou ansiedade.

Além disso, existe também a neuromodulação, uma forma de terapia mais avançada que  estimula e altera a atividade cerebral por meio de correntes elétricas ou magnéticas. Pode parecer bizarro, mas cada vez mais comum e eficiente.

A depressão no último ano da faculdade é real e precisa ser discutida com clareza e objetividade. Não empurre com a barriga. Priorize sua saúde e procure ajuda profissional. O auxílio pode estar mais perto e acessível do que você imagina.

Gostou deste artigo? Aproveite para contar um pouco da sua experiência nos comentários. Queremos ouvir você e trocar uma ideia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *